O assunto é delicado, mas o objetivo é ajudar gestores “perdidos” a salvar suas empresas, e apesar da falência ser um estado extremo, há muitas farmácias com problemas de administração, com as contas no vermelho e equipe descontente. Todo tipo de empresa está sujeito aos problemas comuns do setor corporativo, por isso a preparação do líder para momentos de crise é tão importante, quase uma obrigação para quem está no comando.

Ao mesmo tempo que é bom ter o feeling para aproveitar oportunidades únicas do mercado e economizar dinheiro e recursos, também é preciso saber quando recuar e segurar os investimentos para salvar o negócio. Reconhecer os erros anteriores e antecipar as mudanças é sinal de inteligência e tranquiliza a equipe, que muitas vezes não sabe se a empresa vai bem ou não. Planejamento é o mais importante para evitar imprevistos e evitar situações das quais será impossível sair.

A fim de contribuir com as mudanças, nós aproveitamos o tema para listar alguns dos erros capitais da farmácia magistral na luta por espaço no mercado. Confira as dicas e identifique quais estão atingindo seu empreendimento.

  1. Ignorar o mercado

As tendências mudam, novas ferramentas surgem e práticas são deixadas para trás. Cabe ao gestor estar atento à movimentação do mercado, de olho até mesmo nos concorrentes, para não ficar para trás. Em determinados casos, o que resta para a empresa é copiar o rival para se manter na concorrência, mas os clientes percebem os métodos não originais. Com atenção no mercado, o gestor e sua equipe podem traçar estratégias e planos inéditos, temas que surpreendam os clientes e o oponente, o que vai agregar e dar um novo tom para o setor.

Não é preciso fugir do tradicional o tempo todo, mas inovar é preciso. Mudar uma fórmula de sucesso, mesmo que retrógrada, não é uma boa, mas existem alternativas para melhorar essa “marca registrada”. Quando algo dá certo, seja uma prática ou ferramenta, o primeiro a ser lembrado é o pioneiro. Busque ser esse, mas se não der, melhore o que o pioneiro fez.

  1. Não ouvir o cliente

As redes sociais interferem muito na popularidade das marcas, mas são ótimas ferramentas para saber o que os clientes pensam sobre aquela empresa. Se não há suporte para monitorar as redes – o que deveria haver – pesquisas de satisfação funcionam e retratam o que os consumidores têm a dizer, e é possível organizá-las dentro da própria farmácia. Com a ajuda de um software é possível não só coletar os pedidos e manter o contato com o cliente, mas também expandir essa proximidade e identificar oportunidades de melhora a partir das suas opiniões.

Com esses feedbacks registrados, será possível melhorar o atendimento, qualidade dos produtos, agilidade na entrega e a estrutura da loja, mas para isso o gestor deve estar disposto a investir nas melhorias. Como dito acima, o planejamento vai dar base para tornar a farmácia mais competitiva e dará ao cliente a certeza de que sua opinião importa.

  1. Profissionais e práticas falhas

Já reforçamos em outras ocasiões a importância de treinar a equipe e apresentar de forma didática as melhorias e novos sistemas que a farmácia implanta, e reforçamos aqui. No atendimento ao consumidor, uma resposta “atravessada” do funcionário já basta para o visitante desistir da compra, não voltar mais e ainda divulgar de forma negativa a marca. Ao mesmo tempo que a falta de educação é ruim, a preguiça, falta de conhecimento e a inabilidade de atender afastam o cliente, por isso deve-se identificar os mais aptos no ato da contratação.

Um ponto falho de muitas farmácias é a ausência de padronização. As cápsulas de um mesmo medicamento podem mudar de cor a cada pedido do cliente, pode haver funcionários que nem sempre estão uniformizados ou vestidos formalmente, os estoques de um certo ativo podem estar esgotados ou o horário de funcionamento não tem constância… Esses são exemplos de práticas errôneas da farmácia magistral que precisam ser abandonadas.

  1. Falta de suporte tecnológico

Possuir um sistema que ajude a controlar as diferentes áreas da farmácia deixou de ser um diferencial, mas uma necessidade de todas. Ter um espaço dedicado ao cadastro dos clientes, gestão dos pedidos, controle financeiro e geração de relatórios ajuda na economia de tempo e dinheiro, além da organização que tais programas possuem. Outro tipo de serviço que pode auxiliar na gestão é o de monitoramento do mercado de insumos, já que o farmacêutico passa a ter acesso ao que oferecem os fornecedores de forma mais completa.

A Fagron Technologies oferece diversas opções de softwares para ajudar na gestão da sua farmácia, inclusive opções que facilitam o contato com o cliente. A nossa preocupação é auxiliar auxiliá-las a sair do amadorismo e tomar um novo rumo de excelência, por isso aderir a sistemas como esses não é luxo, mas sim uma necessidade.

  1. Não fazer visitação médica

Uma das melhores formas de gerar demanda e criar parcerias é através da visitação médica, método onde o responsável pelas visitas pode agendar horário com os principais prescritores para expor seus produtos. A prática demanda preparação, compreensão das fórmulas a serem discutidas e boas técnicas de persuasão do visitador, e se feita de forma adequada, leva o cliente final diretamente para a sua farmácia.

Se você nunca fez visitação, tudo bem, você não está no prejuízo, mas está perdendo uma ótima oportunidade de ampliar seu público e aumentar seu faturamento. O fracasso não se dá apenas por erros, mas também pelas oportunidades perdidas e no receio de fazer diferente.

A parcela do mercado que visita hoje é pequena, mas esses são os que se diferenciam do resto. Com o auxílio de um sistema de gestão, será possível registrar no sistema de gestão as receitas recebidas por consequência da visitação médica – classificar os médicos que mais prescrevem, quais os ativos mais prescritos, onde estão concentrados os principais etc.

  1. Desistir

Em tempos difíceis, quando os negócios não avançam, a clientela diminui e o caixa não está mais cheio, se manter positivo é um desafio, mas aceitar a derrota deve estar fora de questão. Como citado acima, existem diversas formas que têm retorno comprovado, falta apenas a persistência e coragem de investir e melhorar. Em casos emergenciais como esse, o capital investido volta, já que são ações planejadas e limitadas, que visam recolocar a farmácia na disputa por espaço.

Desistir do seu negócio é o fim da linha para o líder, e em certos casos, é inevitável, mas sempre há a chance de recuperação. A falência não afeta apenas o gestor, mas também os funcionários a sua volta, por isso é bom ter planos de ação preparados para momentos como esse.

A Fagron Technologies está no mercado para auxiliar farmácias magistrais de todos os tamanhos com softwares que facilitam a gestão dos processos internos, a fim de melhorar a produção e garantir êxito. Ao operar sistemas especializados em finanças, contato com o cliente, pedidos e estoque, o farmacêutico tem todo o suporte do time Fagron Technologies para injetar ânimo novo na equipe e colocar a farmácia no caminho do sucesso.

Conheça nossos serviços e eleve seu negócio a um novo patamar. Dedicação e capacitação são suficientes para iniciar um projeto, mas mantê-lo e colher frutos depende daquele “algo a mais”, e a Fagron Technologies é a opção certa para te ajudar nessa transição.

Deixe sua resposta