O momento atual, após a pandemia do Covid, reforçou e acelerou o processo de reconhecimento dos farmacêuticos como agentes de saúde na comunidade. E também de um profissional que atua como ponto importante de apoio na condução dos procedimentos e protocolos, sendo fonte de informação qualificada de cuidados básicos.

As farmácias, inclusive as magistrais, realizam um atendimento humanizado e personalizado, ampliando esta responsabilidade e compromisso com a saúde preventiva e Medicina Personalizada.

O farmacêutico faz a “ponte” médico-paciente, mas também atua diretamente, sendo procurado pelo paciente no momento da enfermidade. Agora, com a Teleconsulta e os encaminhamentos online, ter uma farmácia engajada às necessidades dos pacientes é fundamental. 

Desde 2014, a farmácia foi reconhecida como estabelecimento de saúde, sendo, atualmente, ponto de programas de vacinação e ações de manejo de doenças crônicas, mas seu potencial ficou ainda mais óbvio no cenário atual, especialmente no atendimento humanizado, fazendo uso da Atenção Farmacêutica. 

O papel clínico do farmacêutico se expandiu e hoje as farmácias criaram espaços privativos de atendimento, ambientes de consultório. Investem em tecnologia e novos serviços, para prestarem um melhor atendimento.

O acolhimento e nível de conhecimento por parte dos farmacêuticos no Brasil gera confiança e reconhecimento. Assim, as farmácias ganham mercado e ajudam no conforto e bem-estar das pessoas, especialmente as magistrais, que manipulam medicamentos personalizados e estão sempre atenta às necessidades individuais. 

O uso de novas tecnologias e automação facilitam o atendimento, mas não substitui a presença e atenção humana. O papel dos farmacêuticos como agentes de saúde da comunidade, se faz cada vez mais evidente.

Atuação do farmacêutico na gestão e no atendimento das farmácias

O farmacêutico sempre exerceu um papel importante enquanto promotor da saúde da comunidade. Uma relação de confiança que nasceu junto com a natureza desta profissão. 

Mais do que um ponto de venda de remédios, produtos manipulados e cosméticos, as farmácias se fortalecem cada vez mais como estabelecimentos de saúde e têm, na figura do farmacêutico, um profissional mais próximo e de confiança para os tratamentos individualizados. 

O uso das formulações personalizadas ligadas a áreas diversas, como nutrição, geriatria, dermatologia e cosmetologia, além do contato mais estreito com os médicos e novidades que possibilitam que as prescrições sejam feitas por eles, ampliaram o papel deste profissional.

O farmacêutico, que até pouco tempo estava mais focado nos serviços burocráticos ou como provedor do livro de controles, fez sua função ir além na última década. 

Atendimento humanizado das farmácias se destacou na pandemia de 2020 

A pandemia de 2020 acelerou esse processo, na medida em que o farmacêutico foi reconhecido pelas entidades de saúde e também pela população como referência e apoio na condução dos procedimentos relacionados ao Covid-19.

Algumas legislações ainda impedem a ampliação do leque de serviços prestados pelas farmácias brasileiras, mas o avanço tem acontecido. Exemplo disso foi a Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) 357, em que o farmacêutico foi inserido na testagem da população para o novo coronavírus. 

Desde o início da pandemia, as farmácias foram tratadas como serviço essencial e ganharam visibilidade. O atendimento humanizado também foi reforçado neste momento. Afinal, confiança e acolhimento são palavras que definem bem o que o paciente encontra quando chega à farmácia. Ele deve ser realizado com empatia e técnica, gerando conforto e bem-estar, por meio de ações ágeis.

Além de atenderem ao público, os farmacêuticos costumam ser os gestores das suas farmácias magistrais. Mais qualificado, hoje ele alcança um serviço de excelência, agregando mais valor ao atendimento. Para isso, precisa da ajuda das soluções desenvolvidas no mercado.

 

Confira nossos materiais:

http://blog.fagrontech.com.br/materiais/

 

Deixe sua resposta