Com a regulamentação da telemedicina, realizada com respaldo legal, ou seja, com assinatura eletrônica para as receitas e atestados, ir ao médico passou a ser algo prático. Uma prática tão ou mais eficiente do que nas consultas e atendimentos presenciais, quando se trata de uma especialidade em que é possível, porque agiliza parte do processo e dá acesso a especialistas que se localizam geograficamente longe, entre outras novas facilidades.

Entre vantagens e desvantagens a serem superadas, tão necessárias para o futuro humano – e isso inclui a saúde e o atendimento médico e farmacêutico – a tão esperada regulamentação da Telemedicina de interação à distância está sendo comemorada por muitos pacientes e especialidades médicas, incluindo nutrição, odontologia e psicoterapia. 

Ela veio para atender às novas necessidades emergenciais de saúde, em decorrência da pandemia do Covid-19, mas a tendência é de ter vindo para ficar, avançando com a medicina do futuro.

A teleconsulta torna a relação médico-paciente algo prático, assertivo e livre de burocracias. Nem todas as consultas precisam de análise clínica presencial. As que precisam, podem ser encaminhadas e agendadas posteriormente ou serem avaliadas por vídeo. 

A teleconsulta médica está no início da Jornada Digital, que abrange a prescrição com assinatura e certificado digital, compras e pagamentos dos medicamentos e formulações online. Ela é a resposta para a nova forma de viver e de fazer saúde após a pandemia do Covid-19, que impôs isolamento social e novos cuidados de higiene.

  • A nova modalidade de consulta contempla diversas etapas da medicina, como atendimento pré-clínico, suporte assistencial, monitoramento, as próprias consultas diversas e diagnóstico de saúde. 
  • Com a teleconsulta, a emissão de receitas e atestados médicos à distância é validada por meio eletrônico, mediante uso de Assinatura Digital integrada a um Certificado Digital, que asseguram a autenticidade e legitimidade da prescrição.

Como o farmacêutico pode conferir a autenticidade da receita e assinatura digital?

O farmacêutico pode utilizar dois caminhos:

  1. Por meio da ferramenta Verificador de Conformidade do Padrão de Assinatura Digital da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP- Brasil, disponibilizado pelo Instituto Nacional de Tecnologia (Casa Civil da Presidência da República). 
  2. Por meio do software leitor do arquivo em PDF gerado e assinado em seu computador (ex.: Adobe Acrobat Reader) ou validade do token (certificado). Cada software requer um procedimento.
  3. O RXMais pode fazer isto para o médico, a farmácia e todos os pacientes. Entenda como, clique aqui!

Deixe sua resposta