O cuidado individual é o que define uma farmácia de manipulação e este segmento no Brasil é um dos mais desenvolvidos do mundo. A riqueza de produtos para formulação, investimentos tecnológicos e avanço nos negócios é tanto que várias pesquisas estão sendo feitas para traçar quem são estes gestores e seus públicos, com foco na farmácia do futuro, que já chegou.

Segundo últimos levantamentos feitos pela Anfarmag (Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais), existe hoje cerca de 7,2 mil farmácias magistrais no país, sendo que 94% dos empreendimentos do setor estão enquadrados no regime tributário Simples, por serem micros ou pequenas empresas, sendo que 63% delas têm apenas uma filial. Este tipo de negócio independentes de pequeno porte compõem 99% dos status de empresas no Brasil.

Este mercado específico é, no entanto, relativamente pequeno e restrito, se comparado, por exemplo, às farmácias comuns e outros segmentos de negócios. São, na maioria das vezes, de propriedade dos farmacêuticos, que são também os gestores dos seus próprios negócios, gerando cerca de 100 mil empregos. Mas, suas soluções personalizadas para a saúde, visando o bem estar e a qualidade de vida, beneficiam a sociedade como um todo.

Com gestões cada vez mais atentas às novidades das formulações voltadas à personalização dos produtos, e em busca por qualidade e agilidade no atendimento, o mercado magistral ganha força.

De acordo com o Panorama Setorial lançado pela Anfarmag em 2015 com informações e estatísticas atualizadas sobre o setor, já em seu segundo exemplar, a formação acadêmica do empresariado é principalmente em Farmácia, sendo que apenas 4% dos sócios-proprietários possuem pós-graduação em Administração de Empresas. Como peculiaridade, dos 64% que buscam sócios, quase a metade optam por outros farmacêuticos, necessitando de ajuda, portanto, em todos os setores, para administrarem seus negócios.

Isso faz com que necessitem, cada vez mais, de mão de obra qualificada e ferramentas voltadas para o setor para gerarem informações precisas e ajudarem nas decisões assertivas que implicam uma boa gestão todos os dias.  A prova disso é que, 22% dos farmacêuticos, quando se associam a outros profissionais, buscam pelos formados em áreas gerenciais (Administração, Economia e Contabilidade). Fazem isso com foco em suprir a enorme carência e gargalos nessa área.

Se 88% dos gestores das farmácias magistrais brasileiras cuida diretamente da administração de seu negócio, ao invés de delegar a alguém essa gerência, a grande maioria desempenha múltiplas funções, acumulando pelo menos a de sócio-proprietário, responsável técnico e administrador. Eles precisam, portanto, de sistemas de automação e treinamentos capazes de capacitá-los em gestão. Porque tão importante quanto o conhecimento e a experiência prática, é a capacitação em gestão. Este é fator decisivo, tanto para crescer quanto para garantir a longevidade das empresas existentes.

Levando em conta as maiores preocupações do gestor neste negócio, – e isso vale para os empreendedores em geral –  caímos na maior delas, que é a falta de tempo. Ele precisa se dividir em ações que envolvem fórmulas para manipular, clientes para prospectar, funcionários para gerir, tempo para o prescritor e, na maioria das vezes, acaba deixando de se dedicar ao que é essencial: aprimorar a sua capacidade de gestão para garantir um bom negócio, ou o que chamamos de negócio de sucesso.

Esse sucesso pode ser medido por meio de resultados crescentes, de preferência exponenciais, e satisfação de todos os clientes, num número grande de retenção e excelência no atendimento. Para isso, é importante enxergar além do operacional, ao invés de ficar preso às rotinas e questões burocráticas. É preciso pensar de forma estratégica e saber aonde quer chegar, traçando objetivos e metas.

Isso não pode ser delegado a um gerente, já que o planejamento estratégico e o posicionamento da empresa no mercado deve pertencer ao dono do negócio. Na prática, isso pode ser construído com a dedicação de algumas horas por semana à gestão de pessoas, de fluxo de caixa e vendas.

Cursos de formação e treinamentos nessa área ajudam, mas, mais do que isso, é preciso ter em mãos ferramentas voltadas a essa prática no dia a dia de um negócio. Para que as ideias não venham dissociadas das ações. Porque a gestão da empresa não pode esperar. Os clientes chegam, enviam whatsapp com suas dúvidas e pedidos de orçamento, enquanto você ainda pensa em como controlar tudo isso. Softwares de solução desenvolvidos especificamente para as farmácias de manipulação foram pensados levando em conta todas essas vertentes, dificuldades e necessidades, por isso, atendem, diariamente, todas essas demandas.

Elas dizem respeito a todos os setores e processos de uma farmácia, que precisam estar integrados para funcionar, com as informações atualizadas, da mesma forma que os valores de uma empresa devem estar alinhados a todo o quadro de funcionários. Eles devem ter em mente esses valores e quais são a missão e visão do negócio para o qual trabalham. Da mesma forma, precisam de um sistema que ofereça informações precisas sobre o custo de um produto, o valor a ser vendido numa concorrência para uma margem de lucro aceitável. Ter ferramentas com informações atualizadas, que os auxiliem a serem precisos e ágeis no atendimento, prometendo e entregando com qualidade.

Sabemos que lidar com as finanças da empresa nem sempre é uma tarefa simples e que atrair novos clientes, deixá-los satisfeitos, além de treinar e reter talentos é dificuldade recorrente no mercado magistral.

Se você tem consciência dessa forte concorrência do setor, da dificuldade que está em controlar tudo e encontrar funcionários tão capacitados para atender ao nível alto de exigência dos novos clientes, é preciso investir no acesso aos melhores recursos tecnológicos disponíveis, se capacitar e treinar a sua equipe. Estas são as vertentes que a Fagron Tech faz, porque promover o seu negócio está em nosso DNA.

Deixe sua resposta